PUBLICIDADE

X

CIDADE

Sexta-feira, 22 de Maio de 2020, 15h:46

Olho 2439 acessos A | A

SEPULTAMENTO

Corpos de mortos por Covid-19 não podem ser transladados entre municípios, segundo portaria da SES-MT

Por: Joner Campos I Cáceres Notícias

Reprodução

Clique para ampliar

A proibição de serviço de conservação e translado prevista no caput, abrange Saída e Entrada dos corpos suspeitos/ confirmados de COVID-19 em todo território estadual, abrangendo os serviços intermunicipais, interestaduais e internacionais.

Os corpos de pessoas que morreram por Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, não devem ser transladados pelas funerárias em Mato Grosso. A determinação foi tomada pela Secretaria Estadual de Saúde (SES-MT) que emitiu uma portaria com a regulamentação das normas na última terça-feira (19). A decisão foi tomada para evitar novas possíveis infecções.

Assinada pela Secretário Estadual de Saúde Gilberto Gomes Figueiredo, o documento foi elaborado por causa do risco contínuo de transmissão infecciosa por contato após casos de morte por coronavírus, embora a possibilidade de contágio seja geralmente menor do que para pacientes que estejam vivos.

No artigo 17 da portaria fica vedada em todo o território estadual, a prestação de serviço de conservação e translado de restos mortais humanos em que o óbito tenha tido como causa suspeita ou confirmada COVID-19 (doença infectocontagiosa), conforme preconizado pela Organização Mundial da Saúde, Ministério da Saúde e Agência Nacional de Vigilância Sanitária, RDC n.º 33/2011, art. 10.

A proibição de serviço de conservação e translado prevista no caput, abrange Saída e Entrada dos corpos suspeitos/ confirmados de COVID-19 em todo território estadual, abrangendo os serviços intermunicipais, interestaduais e internacionais.

As informações vieram à tona após um impasse na manhã desta sexta-feira(22) entre os familiares de uma senhora do município de Curvelândia (MT), distante a 60 km de Cáceres e a Vigilância em Saúde de Cáceres. Os familiares tentavam realizar o translado do corpo para o município e em virtude da portaria foram impedidos.

De acordo com o Gerente de Inspeção Sanitária de Cáceres, Josué Alcântara cabe ao município apenas o cumprir as leis vigentes, a portaria foi publicada no dia 19 de maio no Diário Oficial e nos cabe a execução da mesma.

“A Vigilância em Saúde trabalha com o princípio da legalidade, e cumprimos as leis vigentes e as portarias do governo do estado. Já orientamos todas as funerárias a respeito da nova portaria, que impede o translado de corpo de suspeitos ou confirmados de COVID-19”, afirmou em relação a situação.

Anexos: