PUBLICIDADE

X

POLÍCIA

Sexta-feira, 20 de Novembro de 2020, 07h:26

Olho 6753 acessos A | A

DURANTE ABORDAGEM

Homem morre baleado após fugir da polícia, apontar arma para PM em Cáceres

Ele chegou a ser socorrido com vida, mas não resistiu ao ferimento e morreu

Por: Joner Campos I Cáceres Notícias

Reprodução

Clique para ampliar

Foram encontrados na averiguação com a vítima um simulacro de pistola. Já dentro da mochila estavam 23 trouxinhas de substância análoga a maconha.

Um homem de 19 anos morreu depois de ser baleado por policiais militares após apontar um simulacro de arma de fogo para os policiais, ao tentar fugir de uma abordagem. O caso aconteceu na noite de ontem quinta-feira (19) no bairro Cidade Alta, em Cáceres.

Segundo o boletim de ocorrência (Nº: 2020.283474), os policiais viram um grupo de pessoas na praça do bairro onde costumeiramente é local de ponto de encontro de usuários de drogas, na aproximação dos policiais notaram a comercialização de entorpecente entre os presentes. Porém durante a aproximação um dos suspeitos fugiu, foi iniciada a perseguição.

Durante a fuga, ele dispersou uma mochila contendo várias trouxinhas de entorpecentes, sendo a todo instante orientado a parar e colocar as mãos na cabeça, haja vista que os policias notaram que o mesmo estaria com um volume na cintura. Ao tentar fugir ele apontou uma arma para os policiais e foi baleado pelos oficiais, mesmo assim continuou a fuga, vindo a cair. Ele foi socorrido e encaminhado pelo Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional de Cáceres, mas não sobreviveu.

Divulgação I PM

0d5181f26aff8c5459ecf833a4e89346.jpg

Com Luiz André de Moraes Silva (19 anos) foram encontrados um simulacro de pistola. Já dentro da mochila estavam 23 trouxinhas de substância análoga a maconha.

Foram encontrados na averiguação com a vítima Luiz André de Moraes Silva (19 anos) um simulacro de pistola. Já dentro da mochila estavam 23 trouxinhas de substância análoga a maconha.

Segundo o boletim de ocorrência (Nº: 2020.283474), o homem tinha cinco passagens por receptação, formação de quadrilha, adulteração de sinal identificador de veículo, sequestro e porte ilegal de arma de fogo.

 

Conforme a Polícia Militar, mesmo nos casos de legítima defesa ou estrito cumprimento do dever, é procedimento de praxe apurar a circunstâncias da ocorrência e a atuação policial. "No caso em questão, a Polícia Militar informa que o 6º Batalhão de Cáceres, sob o acompanhamento e a orientação da Corregedoria, vai instaurar procedimento investigatório", informou a assessoria da corporação.